Hortalícia

Férias, verão e quase Carnaval. Estes são alguns dos motivos pelos quais a busca pela boa forma é intensificada neste período do ano. Entretanto, é possível curtir uma sobremesa sem sair da dieta. O POVO Online conversou com especialistas e sugere cinco estabelecimentos onde o "doce sem culpa" se esconde na Capital. Os diferenciais se mostram em praticidade, serviço, funcionalidade e, claro, muito sabor. Tem ainda dicas de receitas para matar aquela vontade em casa mesmo. Com pratos livres de glúten, lactose e açúcares, pessoas com intolerâncias alimentares ou veganas vão curtir as indicações. Prazer, bem-estar e boa forma podem estar juntos. Quem cuida do corpo e da saúde também pode encaixar deliciosas (e funcionais) sobremesas de vez em quando. Assim, todos os paladares em forma.

Por Lucas Braga Por Fábio Lima (fotos)

Formado por uma equipe multidisciplinar de médicos, fisioterapeutas, educadores físicos e nutricionistas, o Complexo Nutriclinic abrange o restaurante Hortalícia. A partir do sucesso do programa de detoxificação MyDetox, veio a necessidade de um espaço maior, para atender à alta busca externa pelo menu.

As nutricionistas responsáveis Nicole Benevides e Mirella Freire

A proposta não poderia deixar de ser funcional. Todo o cardápio do restaurante é supervisionado pelas nutricionistas Mirella Freire e Nicole Benevides, responsáveis pela casa. Este é o principal diferencial apontado, sempre “priorizando a saúde e colocando no prato o que vale a pena”. “Nossas preparações são livres de alérgenos alimentares, de um modo geral, e com ingredientes funcionais”, explica Mirella.

As profissionais dizem que o restaurante foi pensado para ser inclusivo a todos os públicos, sempre com produtos naturais. “A gente preza por ser um restaurante de comida fresca e artesanal, trocando o rótulo por casca, para que as pessoas comam comida de verdade”, completa Nicole.

A gente preza por ser um restaurante de comida fresca e artesanal, trocando o rótulo por casca

Nicole BenevidesNutricionista

Nesta proposta, uma dica de almoço é a salada fit da linha de refeições prontas Fresh to Go. Com frango, ovo cozido, cenoura, gergelim, alface americana e molho mostarda & mel, o sabor é garantido. Para acompanhar, um suco green prensado a frio, que combina maçã, abacaxi, couve, pepino e hortelã. Para a sobremesa, as nuts (R$ 13) são uma opção doce que sacia. Apenas dez unidades são suficientes para “matar a vontade” do doce, fornecendo ainda zinco e boas gorduras.

O momento indicado para o consumo da sobremesa é justamente este, após a refeição, quando a absorção dos açúcares é mais lenta, segundo as nutricionistas. Contudo, há opções que podem ser encaixadas como lanches - o iogurte grego do restaurante (R$ 16) é uma delas. Apesar das caldas de frutas ou rapadura, o apelo não é o sabor, mas a funcionalidade. Com adição de probióticos, também faz bem ao ritmo intestinal.

Fonte de zinco e boas gorduras, as nuts podem ser encaixadas como lanche ou sobremesa

Dentre as sobremesas consolidadas no menu do Hortalícia estão o brownie funcional (R$ 8) e o creme de chocolate “danette” vegano (R$ 15), ambos sem leite e sem glúten. “A gente mantém sempre a sobremesa no cardápio. É o ‘doce sem culpa’, que mata aquela vontade e não vai para o pneuzinho nem cria celulite”, brinca Mirella.

“Em cada sobremesa a gente tenta colocar uma canela ou coco, que tem gordura boa e dá sensação de saciedade, ou biomassa de banana verde, que ajuda na modulação do intestino e dá imunidade”, pontua Nicole.

Fernando Martins, 34, aprovou o cardápio do Hortalícia
 

Pela primeira vez no Hortalícia, o advogado Fernando Martins, 34, elogia a localização e ideia do restaurante. “É cômodo, por estar no Complexo do hospital São Mateus. Vim acompanhar meu irmão em um exame e parei aqui para almoçar. Eu não conhecia, mas achei a proposta positiva pelas opções sem lactose, que estou tentando tirar da dieta”.

Fernando treina há 14 anos e está em regime mais rígido há dois anos, cortando refrigerantes e frituras da dieta - apesar dos excessos do fim de semana, que ele não nega. Naquele dia, almoçou um “bem servida” omelete de frango. De sobremesa, curtiu o Bolinho do Dia sabor macaxeira com coco (R$ 8). “O bolinho tem textura natural e não é tão doce”, aprecia.

Outros sentidos

Além da saúde, o lugar faz bem aos olhos. O Complexo Nutriclinic, incluindo o restaurante Hortalícia, foram decorados pelo escritório LAR Arquitetura. O visual transporta o visitante a um clima natural, aconchegante e tranquilo.

A leitura jovem e alegre consegue se juntar ao requinte e delicadeza, numa proposta conceitual que soma as paredes verdes aos detalhes em madeira. Já na cozinha experimental gourmet, onde conversamos com Mirella e Nicole, mesmo a explosão de cores consegue deixar o visitante em casa. Azulejos, itens em cobre e a think board formam um bom conjunto, com personalidade.

Madeira e verde são constantes no visual
 

Serviço

Hortalícia - Complexo Nutriclinic
Complexo São Mateus - Térreo Torre Office (Av. Santos Dumont, 5753 - Papicu)
Horários: segunda a sexta 11h às 20h; sábados 8h às 12h
Informações: (85) 98717.5402

Hortalícia - Loja Donna Salon
Shopping Varanda Mall (Av. Senador Virgílio Távora, 999 - Aldeota)
Informações: (85) 3264.4014
Instagram: @hortalicia

Confira trechos da entrevista com as "nutris" Mirella Freire e Nicole Benevides, responsáveis pelo Hortalícia:

Bellucci

Por Tatiana Fortes (fotos)

Uma opção para quem não abre mão do sabor é o gelato artesanal da Bellucci. A linha de produtos veganos da gelateria é adequada para não sair da dieta nesse verão. Para os apreciadores que têm intolerância alimentar, há opções sem lactose, sem glúten e reduzidas em açúcares. Em todos os sabores, o açúcar é controlado a partir da frutose, o doce natural da fruta.

Os sabores Relax e Aranciocco harmonizam o cítrico natural das frutas

Há ainda os sabores Detox no cardápio, com receitas elaboradas semanalmente. Três dos gelatos funcionais são: Relax (manga, maracujá e gengibre), Verde (couve manteiga, limão, laranja e hortelã) e Refresh (morango, melancia, limão e manjericão).

Há cinco anos, o engenheiro Christian Santos, 36, veio de São Paulo. No ano passado, conheceu Idalina e já no primeiro encontro eles fizeram uma aposta: quem mostraria o melhor sorvete de pistache de Fortaleza. Christian ganhou a aposta e o coração da moça. Estão casados há um ano e Idalina diz que tudo começou na Bellucci. “O primeiro beijo foi aqui, nessa mesinha”, aponta o local.

Idalina e Christian ainda compartilham do gelato que os uniu

Tudo o que a gente puder economizar é lucro e o peso na consciência fica menor

Christian Santos

Ele se declara fã da gelateria desde a inauguração, em 2014. “A atração é o sabor”, entrega. Já foram vários os prediletos, como Amora e o próprio Pistacchio. Hoje, o vício é o Aranciocco, gelato vegano, com toque de laranja e chocolate orgânico 70% cacau. “Sou gordinho e vivo de dieta. Tudo o que a gente puder economizar é lucro e o peso na consciência fica menor”, ri-se Christian.

O Aranciocco tem redução de açúcar e ausência de glúten e lactose. Christian se diz conquistado pelo “sabor forte do chocolate amargo e o azedinho da laranja”. A esposa também o acompanhou no sabor, combinando com a leveza do Stracciatella, gelato de leite e creme de leite frescos com pedaços de chocolate belga.

Il bambino

A Bellucci foi resultado da união de Afra Colodette e Andrea Bellucci. Um filho, ou bambino, como eles preferem chamar. A preocupação com a alimentação saudável e qualidade do produto foi somada e o resultado não poderia ser outro: o tradicional gelato italiano.

As casquinhas (Cono) média e grande, custam R$ 14 e R$ 16, respectivamente
 

A produção, inclusive, tem cardápio que varia pela estação e maturação da fruta. “O nosso diferencial é a matéria-prima natural, selecionada, sem adição de conservantes, aromatizantes ou uso de gordura hidrogenada”, conta Afra.

A matéria-prima vem de todo o mundo. Seja a manga moscatel de Pindoretama ou as bananas e os maracujás de Tianguá; ou ainda o morango do Espírito Santo; ou o blend de cacaus amazonense, africano e belga. O primor do produto é prova da seleção de ingredientes e receitas próprias.

A proposta aplica também sabores regionais como as frutas tropicais. Um exemplo da técnica italiana unida ao paladar cearense é o sabor Delizia di Caju, com creme de castanhas. Ao todo, são mais de 40 sabores, dentre os quais há opções sem leite, glúten, ovo, soja ou nozes. No site da gelateria dá para conferir todas as opções.

"A gente queria a mesma atmosfera aconchegante da sede", diz Afra
 

A Bellucci surgiu em 2014 e a segunda loja acaba de nascer. “Nosso novo bambino é a loja no Iguatemi, aberta em outubro passado. A gente decidiu ficar fora da praça de alimentação porque não queria dar o conceito de fast food, queria a mesma atmosfera aconchegante da sede”, arremata Afra.

O copo pequeno (Coppetta), com dois sabores, custa R$ 12. Os copos médio e grande com até três sabores custam R$ 14 e R$ 16, respectivamente. Já as casquinhas (Cono) média e grande, custam R$ 14 e R$ 16.

Serviço
Loja Meireles:
Rua Frederico Borges, 624 - Meireles
Horários: Sextas e sábados, 12h às 1h; demais dias, 12h às 23h
Informações: (85) 3039.7719

Loja Shopping Iguatemi:
Av. Washington Soares, 85 - Edson Queiroz; acesso 8, térreo, próximo à C&A
Horários: segunda a sábado 10h às 22h; domingos 12h às 22h
Informações: (85) 3038-7719
Instagram: @belluccigelateria

Conheça a Fit Stop Shakeria

Fit Stop Shakeria

Por Camila de Almeida (Fotos)

Sabe aquela vontade de fazer um lanche rápido e nutritivo? A praticidade é uma das principais vantagens da Fit Stop Shakeria. Como já sugere o nome, os shakes são o carro-chefe: dezenas de opções podem ser personalizadas conforme a dieta do cliente. Entretanto, o cardápio é variado e mesmo quem está em dieta pode matar a vontade de uma sobremesa.

Trufas de whey com diferentes recheios (R$ 6)

Desenvolvido com acompanhamento do nutricionista Valden Capistrano, o menu traz opções funcionais, para o público que se preocupa com a saúde e/ou tem restrições alimentares. “São opções fontes de fibra, sem açúcar, glúten ou lactose. Proteínas e carboidratos são equilibrados, para o lanche equivaler a uma refeição completa”, explica a proprietária, Bruna Braga.

A Fit Stop nasceu há dois anos e hoje tem três lojas: Aldeota, Bairro de Fátima e Dunas. Visitamos a primeira, na avenida Desembargador Moreira, anexa a um posto de gasolina. O ambiente casa com a ideia de fast food saudável: decoração clean, serviço rápido e vários produtos prontos para a viagem

Bruna conta que a loja foi pensada para o público jovem, preocupado em se cuidar e passar bem os anos para "envelhecer com saúde", não apenas quem faz dieta. "Muitos praticantes de esporte nos procuram, antes ou depois do treino, porque não têm tempo de cozinhar em casa, por exemplo, e então levam um lanche rápido para viagem, pela comodidade", explica a jovem empresária.

Os cookies 100% integrais com mix de grãos: linhaça, aveia, trigo e chia. Ao fundo, o suco detox
 

A casa oferece um cardápio com lanches variados, como sanduíches naturais, wraps, saladas, tapiocas, omeletes e, claro, sobremesas. Dentre os doces, destacam-se os saborosos cookies 100% integrais com mix de grãos: linhaça, aveia, trigo e chia. Disponível nos sabores banana e canela, blueberry, aveia e coco, ou gotas de chocolate (R$ 5).

Uma sugestão de lanche doce e funcional é a tapioca sem glúten e sem lactose, com recheio nos sabores banana e canela (R$ 8), chocolate 80% cacau (R$ 9) ou pasta de amendoim integral (R$ 10). A massa é rica em carboidratos de fácil digestão e os recheios têm calorias reduzidas.

Na noite da sexta-feira quando visitamos o restaurante, a opção de Monique Frota, 19, foi a Fit Stop, depois do treino. Ela estava acompanhada do namorado, Ricardo Lopes, 21, completando um ano de relacionamento. “A gente sempre vem aqui porque gosta do ambiente e da comida. Não abrimos mão. Aqui eles não usam óleo nas frituras, a comida não é carregada em sal. Em outros lugares, um frango grelhado, por exemplo, é muito calórico, carregado em azeite e você vê que não tem cuidado na preparação, de ser realmente saudável”, compara.

A opção de vida saudável começou há três anos para a universitária. Para combater o sobrepeso, ela diz que começou uma dieta paralelamente às atividades físicas na academia. “Optei por uma alimentação mais saudável com o apoio da família, incluindo mais frutas e carboidratos de baixo índice glicêmico”, conta.

A busca por restaurantes de comida saudável veio junto à mudança de estilo de vida “A FitStop foi uma das primeiras opções com essa proposta de alimentação saudável, então me ajudou muito. Às vezes, eu acabava me restringindo a não sair: ficava em casa porque não encontrava opções em outros cantos”, lembra Monique.

Brownie de whey protein com castanhas (R)

Ela elogiou ainda o preço “justo”. Segundo ela, com a maior busca pela alimentação saudável, outros restaurantes “têm preço esticado porque tá na moda”. Hoje, em dia com a dieta e o corpo, ela se permite aproveitar uma sobremesa, após a refeição. Os preferidos e recomendados por Monique são o brownie de whey (R) e a trufa de whey com doce de leite (R$ 6).

O restaurante tem ainda opções como bolos 100% integrais, sem glúten e lactose, em vários sabores (R$ 18). O cardápio completo pode ser conferido no site da Fit Stop Shakeria.

 

 

Serviço
Fit Stop Shakeria

Aldeota
Av. Desembargador Moreira, 1750 - Aldeota  (Anexo ao Posto Shell)
Horários: segunda a sábado, 12h às 22h; domingo, 17h às 21h
Informações: (85) 3032.4040

Fátima
Rua Paula Rodrigues, 231 - Fátima
Horários: segunda a sábado, 12h às 22h; domingo, 17h às 21h
Informações: (85) 3085.0000

Central do Corpo
Rua Eng. Luiz Vieira, 902 - Dunas
Horários: segunda a sexta, 7h às 21h; sábado, 8h às 13h

Site: http://www.fitstopshakeria.com.br/
Instagram: @fitstopshakeria 

Anna Paula Doceria Contemporânea

Ao público que valoriza a experiência e as novidades para o paladar, a Anna Paula Doceria Contemporânea é o lugar certo. Das receitas tradicionais ao exótico caramelo de cajá, as (boas) surpresas ali estão

Por Camila de Almeida (Fotos)

“Viver uma experiência”. É assim que Anna Paula Rezende define o conceito da doceria que leva seu nome. Doceria, aliás, fica no nome: o menu é vasto.

Tudo começou com os lanches preparados para os amigos. Com tanta procura pelos brigadeiros e macarons, as criações de Anna Paula foram abertas ao público. A culinarista se diz autodidata, exceto pelo pão de mel, ensinado - depois de muita insistência - pela tia. “Minha mãe e minha avó cozinhavam. Está no DNA”, confessa.

Em cada canto, um toque de Anna Paula

A paraense que assina a marca foi temperar o chiado do sotaque no Rio de Janeiro e depois parou no Ceará. Ainda viajou outro bocado pelo mundo, buscando aperfeiçoamento técnico, mas a criação é própria. "Tenho uma necessidade de criar. Estou sempre inventando novos sabores e combinações", declara Anna Paula.

A culinária premiada agora é somada ao novo e aconchegante espaço na rua Leonardo Mota, inaugurado há três meses. A vidraçaria na prateleira, o sorriso das atendentes e a agradável música lounge convidam.

A aveludada trufa de whey leva chocolate amargo e mata, sem culpa, aquela vontade de comer chocolate (R$ 5,50)

A inovação e o toque de Anna Paula está em cada canto da "lojinha", como ela mesma apelidou. Além do conceito e da elaboração dos pratos, a gestão também tem a mão dela. Segundo a culinarista, hoje a marca tem projetos de expansão: a ideia é abrir mais lojas na Capital e até em outros estados.

O espaço, também conceito, busca abranger todos os públicos. No cardápio, opções também inclusivas, reduzidas em gorduras e açúcares, sem glúten ou lactose, prezando sempre pelo sabor, segundo Anna Paula. “É possível ser saudável e ter sabor, um sabor que surpreende. É o nosso diferencial”, promete.

Para o lanche, uma boa pedida é a coxinha fit sem massa e frita sem óleo (R$ 15). Já como sobremesa, os bolos fit da casa, funcionais e com menos calorias, se comparados aos tradicionais (R$ 25). O sabor banana com nuts e especiarias não tem glúten ou lactose, e leva ainda cobertura de pasta de amendoim integral. Na massa, farinha de arroz, manteiga ghee e açúcar de coco ou mascavo.

As delicadas trufas e o bolo de banana com pasta de amendoim e cereais
 

A médica Georgeanne Benevides conheceu a doceria pelo Instagram e passou a frequentar desde a mudança de endereço. Depois de saborear o hambúrguer de rosbife, ela provou o bolo de banana com nuts. “Bolo molhadinho, equilibrado, saboroso e leve. Mostra que é possível ser saudável e gostoso”, elogia.

No menu fit, desenvolvido junto à nutricionista Ana Cristina Wolf, várias outras opções. Entre as criações de Anna Paula, os cookies, bolos, trufas e muito mais.

O novo espaço fica na rua Leonardo Mota, próximo à avenida Dom Luís
 

Serviço
Anna Paula Doceria Contemporânea
Rua Leonardo Mota, 753 - Aldeota
Horários: sextas e sábados: 12h às 22h; demais dias: 12h às 21h
Informações: (85) 3045-9192
Instagram: @annapaula_doceria

Paladar In Forma apresenta Anna Paula Doceria Contemporânea: 

Sellene Mega Diet

Por Mateus Dantas (fotos)

Sabor e saúde são melhores amigos na Sellene Mega Diet. A megastore de produtos e serviços para saúde e bem-estar mantém ainda um café, com cardápio voltado para clientes que buscam melhor qualidade de vida, praticam atividades físicas e/ou têm restrições alimentares.

A loja tem mais de 8 mil produtos entre dermocosméticos, fármacos especiais, suplementos e acessórios especializados

Uma das nutricionistas da casa, Lívia Régis explica a popularidade do estabelecimento. “O café da Sellene é referência porque é indicado por profissionais. Cerca de 70% dos clientes são encaminhados por nutricionistas, que conhecem como é possível encaixar nossos pratos na dieta”.

Em sua maioria preparados sem lactose, glúten ou açúcar e reduzidos em teor de gordura, o cardápio atende paladares exigentes. Assim é possível saborear - sem culpa - desde o crepe integral de morango com doce de leite (R$ 14,80) ao tradicional açaí (R$ 8,50 até R$ 12, variando pelos complementos), uma das sobremesas fit mais populares.

Açaí com frutas e granola é a indicação da profissional
 

O açaí, aliás, é antioxidante e rico em fibras e nutrientes importantes, com boas quantidades de vitaminas E, C e algumas do complexo B. Para o consumo em self-services, comumente a polpa do fruto é adoçada com glucose e xaropes de guaraná ou milho, sem contar as adições de confeitos, leite condensado e granulados. Lívia adverte para o índice glicêmico destes aditivos. Para substituí-los, a recomendação é incrementar com frutas como banana, kiwi e morango ou ainda granola sem açúcar.

Cerca de 70% dos clientes são encaminhados por nutricionistas

Lívia RégisNutricionista
 

É possível encaixar sobremesas sem prejudicar uma dieta balanceada, segundo Lívia, mas é necessário equilibrar as quantidades. Ela alerta ainda para a qualidade do alimento e a seleção de ingredientes. Dentre eles, os substitutos do açúcar. “Hoje, vários estudos mostram que há adoçantes cancerígenos, que vão fazer muito mal a longo prazo. Então nosso controle de qualidade prefere stevia - que é natural -, xilitol ou taumatina, que têm sabor similar à sacarose. A stevia adoça até 300 vezes mais e a taumatina adoça até 2 mil vezes mais do que o açúcar branco comum”.

A ganache de chocolate leva biomassa de banana verde, chocolate 50% cacau, creme de leite sem lactose e nada de açúcar (R$ 8)
 

Faça seu pedido

Com salmão ou camarão, as saladas do Café Sellene são opções para um almoço com redução de carboidratos e alto teor de proteína. Uma dica é harmonizar com o suco Detox (R$ 8,50), que mistura abacaxi, limão, hortelã, couve e gengibre. Já para a sobremesa, a cremosa ganache de chocolate meio amargo, sem lactose e sem açúcar (R$ 8). Com as fibras da biomassa de banana verde, a ganache contribui para a sensação de saciedade e modulação do intestino.

Saiba mais

Aberta em 2010, a MegaDiet foi a primeira megastore de saúde do Brasil. Hoje, tem mais de 8 mil produtos entre dermocosméticos, fármacos especiais, suplementos e acessórios, além dos serviços do espaço de bem-estar do complexo, que oferece, por exemplo, massoterapia, limpeza de pele e spa dos pés. Entre os diferenciais da casa estão a presença constante de profissionais nutricionistas e farmacêuticos na loja, em plantão. Há ainda serviço de manobrista e amplo estacionamento.

Serviço

Sellene Mega Diet
Av. Rui Barbosa, 1253 – Aldeota
Funcionamento: segunda a sábado: 8h às 20h; sábado: 8h às 18h
Informações: (85) 3133.1999
Instagram: @sellenemegadiet

Confira mais da nossa conversa com a nutricionista Lívia Régis, do Sellene Mega Diet:

 

Onde fé e a ciência se encontram

Na Colina do Horto, o geossítio é o encontro de um evento geológico da Chapada do Araripe com as manifestações da cultura da fé

(Foto: Fábio Lima/O POVO)

De Marechal Deodoro, no agreste alagoano, João Batista da Silva, 56, veio ter com a memória perpétua de padre Cícero, em Juazeiro do Norte. A crença de que o “padim” o fez voltar a andar, “depois de um ano paralítico”, virou paga de promessa perene pela “graça alcançada”. Enquanto viver e as pernas aguentarem, projeta João Batista, ele trará o corpo agradecido à “terra santificada” pelo padre milagreiro, por Mãe das Dores, pela beata Maria de Araújo, pelo beato José Lourenço e por uma nação de romeiros que se renova na oralidade no Nordeste e numa tenência de credo em família.

A primeira vez de João Batista a Juazeiro do Norte foi puxado pelas histórias e a devoção da avó, Maria Joana da Conceição, hoje falecida, e que fez a pé uma das viagens de Joaquim Gomes (Alagoas) até o Cariri cearense. Já vinha na bagagem dela, desde menina, as romarias narradas pela mãe.
   
Quando nos encontramos, em julho deste ano, era o mês dos 85 anos do “encantamento” do padre Cícero e a trigésima vez que João Batista retornava a Juazeiro. Como de costume, repetia o caminho no Santo Sepulcro, lugar onde padre Cícero se recolhia para se aquietar. Uma trilha penitente de 3 quilômetros, no geossítio Colina do Horto, peregrinada por pagadores de promessa, devotos e turistas.
 
É ali, naquele enclave de religiosidade que o Geopark Araripe se inseriu, desde 2006, no Sul do Ceará. Onde a fé e a ciência se encontraram para justificar a relevância da criação de um geoparque da Organização das Nações Unidas para Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Um território simbólico e ao mesmo tempo científico.
(Foto: Fábio Lima/O POVO)

As rochas mais antigas da Bacia do Araripe afloraram até o alto do geossítio da Colina do Horto, em Juazeiro. “São pedras magmáticas, originadas há cerca de 650 milhões de anos”, detalha Álamo Saraiva, coordenador do Laboratório de Paleontologia da Universidade Regional do Cariri (LPU). “Aqui, não há ocorrência de fósseis como em Santana do Cariri e Nova Olinda”, compara Flaviana Costa, também paleontóloga do LPU.

São rochas “ígneas (no caso o granito) formadas a partir do resfriamento do magma. Por isso é impossível conservar alguma coisa orgânica. Os fósseis se preservam em rochas sedimentares como o calcário e o arenito”, explica a paleontóloga e professora da Urca.
      
João Batista pouco sabe dizer sobre o valor geológico do assoalho rochoso onde está sentada aquele trecho de peregrinação, na Bacia do Araripe. Sabe da estátua gigante do padre Cícero que mira o Vale do Cariri lá embaixo. E, sim, vê rochas exageradas que o acompanham no percurso de ida e volta do caminho do Santo Sepulcro.

Ele confessa nunca ter se perguntado por que tanta pedra na estrada de chão alaranjado, aberta no meio de uma Caatinga preservada. Há uma rocha, inclusive, recomenda o funcionário público, com uma fenda estreita no meio e por onde os devotos do padre Cícero se espremem para atravessar. É a “pedra do pecado”. E os que se entalam no apertado das paredes é porque estão cheios de culpa. Não haveria relação com a compleição física de cada um ou um provável sedentarismo. É a parte brincante da escrita do maravilhoso costurada às manifestações da fé no desenho geológico do lugar.
(Foto: Fábio Lima/O POVO)

Pelo trajeto do Santo Sepulcro, outra curiosidade. Várias pedras pequenas e médias são penduradas nos galhos das árvores, empilhadas na beira do caminho ou postas nas placas de orientação. Há também centenas delas deixadas em cima das rochas gigantes, formando miúdos e grandes totens. Uma assinatura de quem passou pelo sacrário telúrico da Colina do Horto.

Damião Francisco da Silva, 34, tem uma venda de água, salgadinhos, raízes, mel, cabaças e outras ofertas em uma das paradas do caminho. Os seixos deixados pelos peregrinos teria haver com a expiação das faltas graves cometidas pelos arrependidos até a próxima ida a Juazeiro. “Dizem que quanto maior o pecado, maior é a pedra deixada”, ouviu dizer o comerciante.

Antes de ser geossítio, na Colina do Horto, já havia a trilha indo dos pés da estátua de padre Cícero até a coleção de pedras magmáticas do Santo Sepulcro. Mas, remonta Damião Francisco, o comércio era acomodado em “barracas de lata e taipa”. Quando o Geopark Araripe pediu passagem e se incorporou ao forte traço da cultura religiosa entrançada em Juazeiro do Norte, a montanha onde o “padrim vive e não está morto” agregou outras percepções.
   
“Eu não sei explicar direito o que é Geopark. Mas depois dessa proteção, é uma proteção, né? Hoje, tem banco pra o romeiro se sentar. Muita placa e as nove barracas, agora, são de tijolos. Ficou mais organizado”, observa Damião Francisco. Um cearense, filho de mãe paraibana e pai juazeirense. “Minha mãe veio com meus avós para uma romaria aqui e acabaram ficando pra morar”, biografa o homem do Cariri.


 
Demitri Túlio

ESTÁTUA DO PADRE CÍCERO


27 metros é altura da estátua de padre Cícero. Esculpida por Armando Lacerda em 1969.

7 metros era o tamanho inicial proposto para o monumento ao padre e líder político, falecido em 1934.

50 anos tem a estátua do padre Cícero. Em seu entorno, há um museu, uma igreja e muito comércio.

Paladar In Forma