História e religiosidade em Messejana

De uma Igreja ligada à fundação do local, passando por uma panificadora com 80 anos de existência e chegando a um espaço gastronômico com opções para todos os paladares, confira o passeio que as Revistas O POVO fizeram pela região

Por Gabriela Custódio (Textos) Por Camila de Almeida (Fotos)

Na série Revistas pela Cidade, chegamos à Regional VI. Uma visita a um local rico em fatos históricos e em tradição religiosa. Antes denominada aldeia Paupina, Messejana surgiu na primeira missão jesuítica no Ceará, com os padres Francisco Pinto e Luís Figueira, conforme explica o historiador Adauto Leitão. Foi lá também onde nasceu o escritor José de Alencar, cuja personagem Iracema virou ícone da região.

Casa José de Alencar

A primeira parada pode estar ainda no bairro vizinho, José de Alencar. No equipamento que também leva o nome do escritor, há, além de exposições de arte permanentes, a biblioteca Braga Montenegro e a Pinacoteca Floriano Teixeira, o museu antropológico, o museu de rendas, o centro de treinamento e as ruínas do primeiro engenho a vapor do Estado. A Casa José de Alencar, que é cenário de piqueniques aos fins de semana, é tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e faz parte da Universidade Federal do Ceará (UFC). Para o almoço, o restaurante Iracema, que funciona de terça a domingo, oferece comidas típicas do Nordeste, como buchada, panelada e carneiro.

Serviço
Onde: avenida Washington Soares, 6055 — José de Alencar
Quando: de segunda a sexta, das 8h às 17h; aos sábados, domingos e feriados, das 8h às 15h
Mais informações: (85) 3276 2379

Igreja Matriz

Conforme explica o historiador Adauto Leitão, Messejana foi fundada em 8 de março de 1607 e formou-se a partir do local onde o padre Francisco Pinto criou uma redução (núcleo de catequese) — e onde, posteriormente, foi sepultado após ser morto na Serra da Ibiapaba. Atualmente, é lá onde se encontra a Igreja Matriz de Messejana. Na praça em frente à Matriz, há comércio com venda de produtos variados — de roupas e guarda-chuvas às tradicionais tapiocas. No entorno, também há pista de skate e quadra poliesportiva.

Serviço
Onde: rua Joaquim Bezerra, 255
Quando: aberta nos horários de missa. Secretaria aberta de terça a sexta das 8h às 12h e das 13h às 19h; e aos sábados das 8h às 12h.
Mais informações: (85) 3045 0103

Panificadora Nogueira

Com origem portuguesa, a Panificadora Nogueira foi fundada em 1938 e, em 2018, comemora 80 anos. Desde o início funcionando no mesmo endereço, a padaria é conhecida pelo pastel de nata. Outras receitas lusitanas também estão no cardápio da casa, como as tortas de laranja e de amêndoas. A Nogueira pode ser um ponto de parada no passeio para um lanche da tarde, com café, salgados, bolos, sanduíches, sucos e panqueca, entre outros.

Serviço
Onde: rua Padre Pedro de Alencar, 244
Quando: segunda a sábado, das 5h30 às 22h; aos domingos, das 6h às 13h
Mais informações: (85) 3276 6061

Lagoa da Messejana

No romance de José de Alencar, Iracema saiu do Ipu e seguiu por serras e praias cearenses. Depois, a índia escolheu a Lagoa de Messejana como refúgio em momentos de tristeza. Desde 2004, a paisagem conta com a estátua de 12 metros de altura e 16 toneladas em homenagem à "musa do Ceará". "É o ponto mais lúdico de Messejana por toda a questão do aldeamento antigo dos indígenas (...) mas hoje ela está completamente destruída, desde 2005 não houve manutenção", lamenta o historiador Adauto Leitão.

Pátio Messejana

Desde 2014, o Pátio Messejana reúne estabelecimentos com alternativas para diferentes estilos e necessidades. Para quem busca um lanche ou um jantar, o local oferece opções como pizza, pastel, coxinha, hambúrguer, açaí, sushi, massas e sanduíches. É uma boa pedida para encerrar o passeio por Messejana à noite. No Pátio, também funcionam outros serviços, como barbearia, pet shop, consultório de odontologia e escritórios de advocacia e de contabilidade.

Serviço
Onde: rua Padre Pedro de Alencar, 1791
Instagram: @patiomessejana
Facebook: patiomessejanaoficial

Feira da Messejana

Por Fábio Lima (fotos)

Messejana também é historicamente marcada pelo comércio. Segundo o historiador Leitão, era um espaço no qual chegavam mercadorias que vinham de Aracati e Cascavel, por exemplo, ou de onde iam para feiras de outros lugares. “Messejana cresceu sendo um centro distribuidor e de comércio de mercadorias, seria um porto seco”, aponta. Isso permanece e o seu mercado tem movimento durante toda a semana. Aos fins de semana, a feira atrai grande público e tem o domingo como dia tradicional — e, neste dia, a Igreja Matriz conta com missa às 7 horas. Produtos artesanais, cereais e cortes de carne estão entre os artigos vendidos no local.

Serviço
Onde: rua Joaquim Felício

Galeria de Fotos

Patrocínio