Professora Maria Conceição

Onde houver trevas, que eu leve a luz - a professora Maria Conceição Almeida Medeiros, 48 anos, se dedica à educação pública e à alfabetização de jovens e adultos. "Quando passam a ler e a escrever, é como se tivessem outros olhos. Estão abertos para o mundo", diz.

Irmãs Gabriela e Maria Antônia e a voluntária Regina

Onde houver ódio, que eu leve o amor - as irmãs da Redenção Gabriela Pinna, 68 anos, e Maria Antônia Pereira Silva, 33 anos, e a voluntária Regina Pereira, 53 anos,integram a Pastoral Carcerária do Ceará e atravessam a Cidade para visitar os presos do Estado. "Não é levar o amor, ele está lá. Na verdade, é tirar a poeira, escavar. Fomos amontoados de violência, temos nossas diversas histórias de sofrimento", espelha irmã Antônia.

Fonoaudióloga Evelin

Onde houver tristeza, que eu leve a alegria - a fonoaudióloga Evelin Gondim, 60 anos, é coordenadora do Núcleo de Atendimento Integrado ao Fissurado (ligado ao Hospital Infantil Albert Sabin) e da Associação Beija-Flor-Funface (instituição de apoio a esses pacientes). "Eu era economista e não estava feliz. Faltava o amor, o envolvimento", recomeça.

Padre missionário Eduardo

Onde houver dúvida, que eu leve a fé - o padre missionário Eduardo Gowing, 80 anos, é irlandês e se mudou para a comunidade Luxou (Praia do Futuro) em meados dos anos 90. A simplicidade, para ele, é o suficiente. "Sou filho de agricultores do interior da Irlanda, não tinha muito luxo. Nesse aspecto da vida, me senti em casa chegando nos lugares pobres. Uma vez que você entra e conhece as pessoas, está em casa", une.

Psiquiatra Adalberto

Onde houver desespero, que eu leve a esperança - o psiquiatra Adalberto Barreto, anos, é o criador da Terapia Comunitária. Nascida debaixo de um pé de cajueiro, no bairro Pirambu, a terapia se espalha pelo Brasil, América Latina e Europa há mais de 20 anos. "Fui descobrindo que, atrás de uma benzedeira, tinha uma acolhedora, alguém que superou um problema. Detrás de alguém que cuida tem a superação de uma dor ou um grande amor", sublinha.

Teaser do webdoc com o Padre Eduardo

Teaser do webdoc com a professora Conceição

Teaser do webdoc com a fonoaudióloga Evelin

Teaser do webdoc com a irmã Gabriela

Teaser do webdoc com o psiquiatra Adalberto

O trabalho da bordadeira dona Piedade Macedo

Profissão: bordadeiras

expediente

desenvolvimento

Coordenadora de Projetos Digitais: MIÚCHA PINHEIRO

Webdesigner: TICIANA MELO

Frontend: MAURO SANTOS

Programador: UBERGUE ANDRADE

Infraestrutura: RHAJIV PERSIVO

Editorial

Coordenação e Edição: FÁTIMA SUDÁRIO

Concepção e Edição de Arte: GIL DICELLI

Edição de Imagens: SARA MAIA

Tratamento de Imagens: ROBSON PIRES

Websérie - Direção, roteiro e entrevistas: ÉMERSON MARANHÃO

Fotografia: CHICO ALENCAR E SARA MAIA

Edição e finalização: MARCELO ALVES;

Animação Gráfica: HENRIQUE SILVÉRIO

Trilha sonora - Música: Oração de São Francisco (Pe. Irala, SJ, sobre texto de domínio popular); Voz: YÁLEN CARVALHO Piano: NEWTON FREITAS

Trilha incidental original: JUCA SANTABAIA (baseado na Oração de São Francisco);

Produção executiva: LUCIANO ALMEIDA FILHO

Produtor assistente e engenheiro de gravação: ALENCAR JR.

Estúdio: Abel Produções Audiovisuais (Aerolândia)

Hotsite - Editora-Executiva do O POVO Online: JULIANA MATOS BRITO

Agradecimentos às bordadeiras MARLENE GUABIRABA, PIEDADE MACEDO DE ARAÚJO LIMA E SHIRLEY M. COSTA CORREIA.