May the Fourth be with you

4 de Maio, ou "May 4th" em Inglês, é celebrado o Star Wars Day. A data surge de um trocadilho sonoro com a famosa frase do filme "May the Force Be with You".

Por Rubens Rodrigues

 

Méliès foi o primeiro homem a pisar na lua. Pelo menos no cinema. Pai dos efeitos especiais, ilusionista francês deu o passo fundamental para a arte que seria realizada no século XX com seu "Viagem à Lua". Kubrick fez do espaço sideral seu local de passeio. Visionário, redefiniu o modo de levar ficção científica para as telonas. O norte-americano George Lucas, criador da saga Star Wars, transformou em negócio e, principalmente, objeto de culto.


"Star Wars - Episódio IV: Uma Nova Esperança" tornou-se rapidamente um forte ícone da cultura pop ainda na época do lançamento, em 1977. Quase 40 anos e sete filmes depois de Luke Skywalker sair na missão que mudou seu destino, a franquia ainda é uma das mais lucrativas da história do cinema. Último longa da série principal,"Star Wars - Episódio VII: O Despertar da Força" arrecadou mais de U$ 2 bilhões no mundo inteiro. Enquanto, o primeiro spin-off dos cinemas "Rogue One" arrecadou mais de U$ 1 bilhão.

 

Motivo de celebração para a indústria, a Guerra nas Estrelas ganhou data especial para a comemoração dos fãs quando, em 2011, os apaixonados pela saga organizaram, no Canadá, o primeiro Dia de Star Wars, 4 de maio.

A partir da popularidade do jargão narrativo “may the force be with you” (que a força esteja com você, em tradução livre), o público se apropriou do termo para a criação do trocadilho “may the fourth be with you” (algo como ‘que o dia 4’ esteja com você). A brincadeira funciona melhor em inglês.

O dia deu tão certo que os fãs passaram a chamar o quinto dia de maio como “revenge of the Fifth”, em alusão ao Episódio III: A Vingança dos Sith.

 

O fenômeno

A coordenadora do curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal do Ceará (UFC), Cristiana Parente, tinha apenas 14 anos quando Uma Nova Esperança chegou aos cinemas. Na época, já tinha como hábito assistir a séries de TV futuristas como Túnel do Tempo e Perdidos no Espaço e se surpreendeu com o conteúdo cinematográfico.

“Cresci acompanhando a série no cinema. Acredito que o sucesso não era tanto por sua forma de representar o mundo futurista, mas o fato de trazer elementos importantes de uma narrativa que constituía a jornada da construção do herói com a Força", diz, lembrando que os elementos eram novidade no gênero. “Era um elemento instigante e nos motivava a imaginar o que esta Força poderia nos trazer ou nos fazer capazes de agir em um mundo cheio de diversidades culturais”.

Também professora de Fotografia e Montagem no curso de Cinema da UFC, Cristiana Parente lembra que a década de 1970 marcou o início do fenômeno dos blockbusters. A franquia ganhou brinquedos, jogos, livros e álbuns de figurinhas. "Star Wars reinaugurou o filme seriado no cinema. A mudança de comportamento do mercado cinematográfico aliando-se à outras áreas do mercado de entretenimento e da indústria cultural".

As novas gerações

A série transcende gerações. A trilogia original de Star Wars já era considerada clássica quando o empreendedor Guilherme Jales, de 24 anos, começou a desbravar os filmes antigos em uma das últimas locadoras que existiam no bairro onde mora. “Foi amor à primeira vista. Toda vez que revejo, remeto à época da adolescência e da descoberta desse e de outros filmes dos anos 70 e 80”, conta. “O Despertar da Força tem muitos elementos de nostalgia pra quem já conhece os primeiros filmes e apresenta personagens que atraem demais uma nova geração de fãs”.

Ainda criança, Marcos Vinithius Melo Filho, de 25 anos, assistiu à trilogia original em VHS. O desenvolvedor de softwares viu os filmes pela ordem cronológica e, diferentemente, de parte dos fãs, tem boas recordações dos episódios I, II e III. “George Lucas é um diretor experimental. Ele gosta de arriscar e foi isso que fez na segunda trilogia”, defende.

Para ele, retomar a narrativa do episódio VII foi uma “tacada de mestre”, já que a história segue o vazio deixado pelos filmes clássicos. “É um sentimento muito gostoso poder ver esses personagens novamente. Acertaram em cheio, tanto com a nova trilogia quanto com os spinoffs. Esses filmes vão preencher alguns buracos dentro da história e isso só tem a crescer”.

Vinithius lembra que existem galáxias inteiras a serem exploradas, já que, além dos filmes, existe um universo expandido retratado em séries de TV e uma série de livros inéditos que chegam às lojas desde o anúncio da venda da marca para a Disney. “A série Rebels tem fortes referências à trilogia antiga e algumas ligações com a nova. Segura os dois tipos de fãs”.

Em Novembro deste ano, a franquia comemora 40 anos de lançamento do primeiro filme e para celebrar a data o Cinetatro São Luiz de Fortaleza irá exbir todos os filmes da série em ordem cronológica, incluindo o Rogue One, entre os dias 23 e 27 de Maio.

Representatividade

Nem só de atores brancos de olhos claros vivem os filmes do século XXI. Protagonizado por uma mulher e um homem negro, Daisy Ridley e John Boyega, respectivamente, o Episódio VII é parte da fase de mudança da estrutura hollywoodiana. Algo que teve continuidade com a escolha da protagonista de Rogue One, Jyn Erso, interpretada por Felicity Jones. A escolha dos atores gerou polêmica entre os fãs.

Organizadora de encontro de fãs, a professora de inglês, Jany Caetano, de 32 anos, diz que a saga “atemporal” trouxe elementos pertinentes às temáticas debatidas pela sociedade. “A recusa de parte do público em ter um protagonista negro e uma mulher em O Despertar da Força trouxe à tona discussões válidas como representatividade e emponderamento”, explica. Para ela, a cultura pop precisa ter papel social além de gerar consumo.

“Durante um bom tempo tudo era voltado para a classe masculina, branca e dentro dos padrões impostos pela sociedade. O Despertar da Força tem até mesmo um nome significativo, porque desde o anúncio trouxe essa pauta pra mesa”, continua. “Despertou a atenção do público para o grande elefante branco que tínhamos na sala e nunca percebíamos”.

Vídeo

Pouco antes da estreia de O Despertar da Força, O POVO entrevistou fãs da série; confira

Curiosidades intergaláticas

Você sabia que a atriz Carrie Fisher (Princesa Leia) foi impedida de usar sutiã na gravação da primeira trilogia? Veja lista de curiosidades

Por Lígia Costa

A saga Star Wars, criada pelo cineasta George Lucas, vem reunindo fãs por gerações, desde o lançamento do primeiro filme "Uma Nova Esperança”, em 1977.

A franquia estadunidense, a mais famosa do mundo, conta com sete filmes sobre a guerra entre o Lado de Luz e o Lado Sombrio no universo das estrelas.

Confira 10 curiosidades sobre a saga:

1 - A maior referência jedi que existe, Mestre Yoda teve suas feições, especialmente os olhos sábios, inspirados em Albert Einstein;

2 - O alienígena Jabba, o Hutt, chefe gangster com cara de lesma e sapo cururu, era controlado inicialmente por 10 fantoches;

3 - O cineasta George Lucas cogitou para "O Retorno de Jedi" um final no qual Luke, o herói principal da saga, se juntaria ao Lado Negro da Força;

4 - A atriz Carrie Fisher (Princesa Leia) foi impedida de usar sutiã na gravação da primeira trilogia. A justificativa do diretor era que na época referente ao filme não existiam roupas íntimas. A atriz teve os seios cobertos apenas por fita isolante;

5 - O som emitido por Chewbacca, amigo fiel de Han Solo e co-piloto da nave Millennium Falcon, é a combinação de vários sons emitidos por animais mamíferos grandes, como ursos;

6 - Há uma lenda que circula entre fãs da saga, que Jar Jar Binks, da raça dos Gungan, era o informante do Lado Negro da força. Embora estivesse sempre do lado bom, tudo acontecia quando Jar Jar estava por perto;

7 - O som típico emitido pelos sabres de luz foi criado a partir da mistura de sons produzidos por um projetor de filmes com o retorno captado pela aproximação de um fio desencapado com um aparelho de TV;

8 - Os atores Anthony Daniels (o droide inteligente C3PO) e Kenny Baker (pequeno robô carismático R2D2) não suportaram bem o calor na Tunísia, local onde eram feitas as gravações. Mesmo com a injeção de ar frio em seus trajes, Daniels costumava desmaiar de calor.


9 - A cena final de Rogue One conta com uma computação gráfica de última geração, que recriou a Princesa Leia com a ajuda da atriz Ingvild Deila, que ganhou as feições da jovem Carrie Fisher. Fisher é citada nos agradecimentos do spin-off.

10 - Infelizmente, Carrie Fisher faleceu em Dezembro do ano passado, depois mesmo de terminar todo o trabalho para o próximo filme da saga Star Wars: Episódio VIII - Os Últimos Jedi.

 

 

Episódio VIII: Os Últimos Jedi

 

O filme que deu origem ao universo de Star Wars foi lançado há 40 anos, em novembro de 1977. Sendo assim, nada mais incrível do que assistir mais um episódio este ano. Dessa vez, veremos a sequência direta a "O Despertar da Força" de 2015 com "Os Últimos Jedi", que chega aos cinemas no dia 15 de Dezembro de 2017.



Uma das maiores polêmicas do novo filme é a confusão quanto ao título original "The Last Jedi", que foi traduzido no plural em vários países incluindo o Brasil, ficando "Os Últimos Jedi". Porém, o diretor do filme Rian Johnson confirmou que pensou o título no singular. O que sugere uma grande expectiva quanto à futura história de Luke Skywalker, de fato o último Jedi.

Como o título sugere e o trailer nos adianta, a importância de Luke vai trazer um novo rumo ainda para Rey, como para os vilões Sith Kylo Ren e o Líder Supremo Snoke.

 

Após o renascimento de "O Despertar Força", o novo capítulo consolida Star Wars como uma das maiores franquias ativas da Cultura Pop, com seus infindáveis produtos licenciados e várias gerações de fãs.

Personagens

A Saga

Trilogia Original

Star Wars Episódio IV: Uma Nova Esperança (25 de maio de 1977)
Star Wars Episódio V: O Império Contra-Ataca (21 de maio de 1980)
Star War Episódio VI: O Retorno do Jedi (25 de maio de 1983)

 

 Trilogia Prequela

Star Wars Episódio I: A Ameaça Fantasma (19 de maio de 1999)
Star Wars Episódio II: Ataque dos Clones (16 de maio de 2002)
Star Wars Episódio III: A Vingança dos Sith (19 de maio de 2005)

 

 Trilogia Sequela

Star Wars Episódio VII: O Despertar da Força (17 de dezembro de 2015)
Star Wars Episódio VIII: Os Últimos Jedi (15 de dezembro de 2017)
Star Wars Episódio IX (23 de maio de 2019)

 

 Antologias

Rogue One: A Star Wars Story (16 de dezembro de 2016)
Filme sobre Han Solo ainda sem nome (25 de maio de 2018)

Bastidores