Chegou a hora mais esperada

Diferente dos últimos dois anos, o Ceará chega à Segundona motivado pela conquista do Campeonato Cearense

Por André Almeida
O título estadual garante novo ânimo, mas não diminui a pressão pelo acesso. (Foto: Mateus Dantas / O Povo)

Passadas as euforias ou decepções de quem se deu bem ou mal nas disputas estaduais e regionais do início de ano, enfim, é hora da bola rolar para a Série B do Campeonato Brasileiro, principal objetivo da temporada de 20 clubes que buscam o sonhado acesso à elite do futebol nacional. Do Norte ao Sul do Brasil, 13 estados estão contemplados na briga por quatro vagas.

Para o Ceará, único representante do Estado no campeonato, a briga pela ascensão é a busca pela retomada de prestígio perdido nas últimas temporadas, complicadas para o time de Porangabuçu. Após deixar escapar acessos considerados garantidos e quase amargar rebaixamento à Série C, o Vovô deposita a esperança na experiência do técnico Givanildo Oliveira e em nomes tarimbados no elenco, como Éverson, Richardson, Ricardinho e Magno Alves.

Diferente dos últimos dois anos, o Alvinegro chega à Segundona motivado pela conquista do Campeonato Cearense. O título garante novo ânimo, mas não diminui a pressão pelo acesso. Voltar a figurar entre os principais clubes do País é exigência da torcida alvinegra, que não se contentará em ficar fora da briga na parte de cima da tabela.

O Internacional-RS disputará a Série B pela primeira vez em sua história e surge como potencial protagonista da competição. Depois de perder o Campeonato Gaúcho para o modesto Novo Hamburgo, o time comandado por Antônio Carlos Zago chega pressionado para não só subir, mas conquistar o título. Com a abissal diferença de cotas e orçamentos do Colorado em relação aos demais participantes, é difícil encontrar alguém que não coloque o Inter entre um dos classificados. Mas a Segundona vai além do time gaúcho.

Times tradicionais como Figueirense, Goiás, Guarani, Juventude, Náutico, Paysandu e Santa Cruz são alguns dos que estarão na peleja por uma vaguinha entre os quatro primeiros.

Por isso, é preciso mais que dinheiro para se dar bem na Série B. Enfrentar viagens longas, e semanas com até dois jogos, por 38 rodadas disputadas em pontos corridos exige vigor de um elenco bem preparado. Ao longo dos 380 jogos, os torcedores podem ter certeza que acompanharão partidas marcadas por muita raça, determinação e vontade, mescladas com o sofrimento peculiar da Segundona.

Campeonato Brasileiro - Série B

Vovô sólido e embalado

O Vovô inicia a Série B com uma "espinha dorsal" bem estruturada

Por André Almeida
Foto: FOTO: MATEUS DANTAS / O POVO
Ceará inicia a Segundona embalado após conquista do título estadual. (Foto: Mateus Dantas / O Povo)

Passado o Estadual, o Ceará agora volta suas atenções para o principal objetivo em 2017. Na Série B, os Alvinegros devem entrar cientes que não encontrarão a mesma facilidade com a qual levantaram a taça no certame local, no qual o Vovô, mesmo sem muito esforço, foi campeão sem ser incomodado. Isso porque tinha um time eficiente. Mais que isso, agora, pra se dar bem na Segundona é preciso ter um elenco com peças de reposição de qualidade.

Até agora, só o goleiro Fernando Henrique, o lateral-direito/volante Pio e o atacante Roberto foram contratados. Em condições normais, apenas o último desses três deve brigar para ser titular. É pouco para um time que sonha com acesso.

O Ceará deve entrar na competição ciente que não pode repetir os mesmos erros do ano passado, em que após terminar o 1º turno na 2ª posição, caiu de rendimento e teve campanha pífia na segunda metade do campeonato e terminou na 10ª colocação.

O Vovô inicia a Série B com uma "espinha dorsal" bem estruturada. O sistema defensivo tem sido o ponto mais forte do time na temporada. O goleiro Éverson, os zagueiros Rafael Pereira e Luiz Otávio, juntamente com os laterais Tiago Cametá e Romário têm formado uma linha defensiva sólida.

A dupla de volantes Raul e Richardson garante primeiro combate e pegada no meio-campo. Os dois são responsáveis pela contenção no setor, além de assegurarem também uma saída de bola fluida e com qualidade, facilitando a transição entre a defesa e o ataque.

Do meio pra frente, o elenco conta com boas opções, mas que ainda não desenvolveram todo seu potencial. Ricardinho, Pedro Ken e Wallace Pernambucano, além dos Felipes Tontini e Menezes, disputam vaga de meia-armador, que segue sem um dono.

No ataque, com exceção de Magno Alves, que apesar dos 41 anos é artilheiro do time e deixa os concorrentes de posição "no chinelo", todos os outros jogadores brigam por espaço. Por isso, a faixa ofensiva é a que o Vovô tem procurado mais reforços, como o atacante Roberto, que chegou para a Série B.

Segundo o presidente Robinson de Castro, mais que investir em muitas contratações, o clube quer explorar o potencial dos atletas que estão no elenco e ainda não renderam o esperado. Maxi Biancucchi, Lelê e Alex Amado são algumas opções que podem ainda desempenhar melhor papel.

Dentre certezas no sistema defensivo e incógnitas no setor ofensivo, o Vovô, embora eficaz, ainda precisa "dar liga" para convencer. Agora é a hora certa para isso. Em uma competição em que a 1ª e a 38ª rodada valem os mesmos três pontos, não há mais tempo para bobear.

PROVÁVEL TIME TITULAR

4-3-3
Éverson; Tiago Cametá, Luis Otávio, Rafael Pereira e Romário; Raul, Richardson e Ricardinho (Wallace Pernambucano); Maxi Biancucchi, Roberto e Magno Alves

Everson - Goleiro

  • Naturalidade: São Paulo/SP
  • Idade: 26 anos
  • Nascimento: 22/07/1990

Rafael Pereira - Zagueiro

  • Naturalidade: Rio do Sul/SC
  • Idade: 32 anos
  • Gols: 1
  • Nascimento: 18/11/1984

Luiz Otávio - Zagueiro

  • Naturalidade: Carmo/RJ
  • Idade: 28 anos
  • Gols: 2
  • Nascimento: 14/09/1988

Romário Guilherme dos Santos - Lateral Esquerdo

  • Naturalidade: Diadema/SP
  • Idade: 25 anos
  • Gols: 0
  • Nascimento: 13/03/1992

Tiago Cametá - Lateral Direito

  • Naturalidade: Cametá/PA
  • Idade: 25 anos
  • Gols: 4
  • Nascimento: 05/05/1992

Raul - Volante

  • Naturalidade: Ceará/CE
  • Idade: 20 anos
  • Gols: 1
  • Nascimento: 11/07/1996

Ricardinho - Meia

  • Naturalidade: Rosário do Sul/RS
  • Idade: 31 anos
  • Gols: 30
  • Nascimento: 15/12/1985

Richardson - Volante

  • Naturalidade: Natal/RN
  • Idade: 25 anos
  • Gols: 5
  • Nascimento: 17/08/1991

Roberto - Atacante

  • Naturalidade: Sapiranga/RS
  • Idade: 31 anos
  • Gols: 0
  • Nascimento: 19/12/1985

Maxi Biancucchi - Atacante

  • Naturalidade: Rosario/ARG
  • Idade: 32 anos
  • Gols: 1
  • Nascimento: 15/09/1984

Magno Alves - Atacante

  • Naturalidade: Aporá/BA
  • Idade: 41 anos
  • Gols: 101
  • Nascimento: 13/01/1976

OS ADVERSÁRIOS DO CEARÁ

Por André Almeida

ABC - BRIGA PRA NÃO CAIR
Sob o comando do experiente técnico Geninho, o alvinegro potiguar inicia a competição embalado pela conquista do seu 54º título estadual da história. Mesmo assim, deve lutar para não voltar à Série C, da qual conseguiu sair  no ano passado. O meia Encheverría é um dos destaques do time que tem o coletivo como maior força.

AMÉRICA-MG - BRIGA PRA SUBIR
O Coelho inicia a disputa entre os favoritos. Com o técnico Enderson Moreira, o Coelho conta com elenco experiente, com jogadores que se destacaram no futebol cearense, como o zagueiro Lima, o lateral esquerdo Ernandes e o atacante Bill. Estão no time ainda outros 10 atletas que participaram do acesso à Série A em 2015, como os goleiros João Ricardo, ex-Fortaleza, e os atacantes Felipe Amorim e Tony, ex-Ceará.

BOA ESPORTE - BRIGA PRA NÃO CAIR
Com um elenco modesto, o Boa Esporte inicia a Segundona entre os coadjuvantes. O elenco não conta com jogadores de destaque. O volante Radamés é o mais experiente jogador da equipe do técnico Julinho Camargo.

BRASIL DE PELOTAS - CORRE POR FORA
Após campanha regular no ano passado, quando terminou em 11º lugar, o Xavante aposta na manutenção do elenco e do treinador Rogério Zimmermann para tentar surpreender neste ano. O experiente goleiro Eduardo Martini e o meia Galiardo são alguns dos destaques.

CRB - CORRE POR FORA
Embalado pelo tricampeonato alagoano, o CRB entra na Segundona tentando acesso para voltar à elite do futebol brasileiro após 33 anos. Mesmo com pouco investimento, o galo alagoano aposta na força que tem jogando no estádio Rei Pelé. O zagueiro Flávio Boaventura e o experiente atacante Neto Baiano são alguns dos destaques do time do técnico Léo Condé.

CRICIÚMA - CORRE POR FORA
Treinado pelo ex-atacante Deivid, o Criciúma aposta em jogadores mais jovens e menos conhecidos no cenário nacional. Sem ter chegado sequer às finais do Campeonato Catarinense, tenta na Série B salvar a temporada. O goleiro Luiz e o meia Alex Maranhão são os nomes mais conhecidos.

FIGUEIRENSE - BRIGA PRA SUBIR
Rebaixado da Série A ano passado, o Figueira chega forte na briga por uma das quatro vagas de acesso. Clube de tradição na Segundona, o alvinegro catarinense aposta no experiente atacante Jorge Henrique, que já jogou no Ceará e foi campeão mundial pelo Corinthians, como principal destaque ofensivo. O zagueiro Naylhor, ex-Icasa, é outro nome conhecido do futebol cearense que faz parte da equipe comandada pelo técnico Márcio Goiano.

GOIÁS - BRIGA PRA SUBIR
Depois da decepcionante 13ª colocação na Série B do ano passado, o Goiás aposta todas suas fichas no retorno à Série A em 2017. Embalado pelo título goiano, o time será comandado pelo treinador Sérgio Soares, velho conhecido do futebol cearense e que também tem como desafio pessoal conquistar o acesso, já que fracassou nos últimos três anos em tentativas com o Ceará (2x) e Bahia. Os goleiros Márcio e Renan, o volante Toró, o meia Juan e os atacantes Tiago Luís e Léo Gamalho são alguns dos destaques da equipe.

GUARANI - CORRE POR FORA
De volta à Série B após quatro anos, o Bugre aposta na mescla da juventude com a experiência para tentar ser mais que ser mero coadjuvante na competição. O técnico Vadão terá no seu time muitos atletas novos, que buscam espaço no cenário nacional, e terão companhia de jogadores tarimbados, como o volante Richarlyson, o atacante Ricardo Bueno e o zagueiro Alex Silva.

INTERNACIONAL - FAVORITO
Pela primeira vez disputando a Série B, o Inter entra como favorito na disputa. A diferença entre folha de pagamentos em relação aos adversários coloca o Colorado como alvo dos outros 19 concorrentes. Para cumprir o principal objetivo do ano, a direção promoveu uma reformulação no elenco. Treze jogadores foram contratados. Entre eles, o atacante William Pottker (ex-Ponte Preta), artilheiro do Campeonato Paulista. Ele terá companhia de D'Alessandro, Marcelo Cirino, Nico López, Valdívia, Rodrigo Dourado e Marcelo Lomba na missão de devolver o Inter à Série A. Na Segundona, o clube gaúcho será comandado por Antônio Carlos Zago, que no ano passado conseguiu acesso da Série C para a Série B com o Juventude, eliminando o Fortaleza.

JUVENTUDE - BRIGA PRA NÃO CAIR
Vindo da Série C, o Juventude vai em busca de campanha de permanência. O time perdeu base da equipe que conseguiu o acesso no ano passado e agora aposta em um elenco reformulado para não decepcionar. Os volantes Fahel, ex-Botafogo e Bahia, Diego Felipe, ex-Ceará, e Vacaria, ex-Fortaleza, são alguns dos nomes mais conhecidos. O técnico Gilmar Dal Pozzo, que esteve no Ceará no início deste ano, comanda a Juve.

LONDRINA - CORRE POR FORA
A aposta do Tubarão é em jogadores que se destacaram nos menores clubes pelos campeonatos do Sul do País, como o volante Jardel, campeão gaúcho pelo Novo Hamburgo. O experiente volante Germano e o meia Celsinho são os atletas mais conhecidos do time comandado por Cláudio Tencati.

LUVERDENSE - CORRE POR FORA
O Luverdense entra na Série B sem grandes perspectivas. O Verdão do Norte conta com nomes conhecidos, como o experiente meia Marcos Aurélio, ex-Ceará e Santos, e o atacante Ciro, que já defendeu Sport, Fluminense e Bahia, mas a equipe comandada por Júnior Rocha tem muitos jogadores jovens e que ainda procuram bom rendimento, que ainda não veio, tanto que o time perdeu o Campeonato Matogrossense para o Cuiabá.

NÁUTICO - CORRE POR FORA
Vivendo momento complicado, com salários atrasados e protestos de jogadores, o Timbu entra na Série B tentando campanha de manutenção. A aposta é que o técnico Waldemar Lemos possa mesclar a juventude e  a experiência no elenco para que a equipe possa "dar liga". O goleiro Tiago Cardoso e o atacante Anselmo são alguns dos nomes mais experientes, enquanto o jovem atacante Erick, de apenas 19 anos, é a principal promessa do clube.

OESTE - BRIGA PRA NÃO CAIR
Após o quase rebaixamento no ano passado, o Rubrão deve brigar novamente na parte de baixo da tabela. Isso porque não fez boa campanha no Estadual - não conseguiu o acesso na Série A2 do Paulistão e conta com elenco desentrosado. Foram muitas contratações para a Série B, e o técnico Roberto Cavalo deve montar a equipe no decorrer da competição. O atacante Júlio César, ex-Ceará, é um dos destaques do time.

PARANÁ - BRIGA PRA NÃO CAIR
Sob comando do técnico Cristian Souza, ex-Ceará, o tricolor paranista vai tentar superar a ruim campanha que fez ano passado, quando brigou contra o rebaixamento. Mas o mau resultado no Estadual - em que foi eliminado nas quartas de final - indicam que o elenco precisa de reforços. Os meias Zezinho e Guilherme Biteco, que também já passaram pelo Vovô, são alguns dos destaques.

PAYSANDU - PODE SURPREENDER
Campeão estadual, o Papão comandado por Marcelo Chamusca pode surpreender. O bom histórico do treinador em pontos corridos é um fator que o credencia para isso. O lateral direito Ayrton, o zagueiro Gilvan e o meia-atacante Daniel Sobralense são alguns dos nomes conhecidos do time.

SANTA CRUZ - BRIGA PRA SUBIR
Mesmo sem contar com um grande orçamento, o clube coral conta com uma equipe bem organizada sob comando de Vinícius Eutrópio. Com o peso da camisa e da torcida que tem, o Tricolor do Arruda entra como candidato ao acesso. O goleiro Júlio César, ex-Corinthians, o zagueiro Anderson Sales, e o experiente lateral direito Vitor, ex-Goiás, são alguns dos destaques.

MUITA ESPERANÇA NO REI DO ACESSO

Givanildo sabe bem o caminho para se ter sucesso na Séria B: são seis subidas de divisão - recorde entre todos os técnicos do Brasil

Por André Almeida
Treinador Givanildo Oliveira mais conhecido como "Rei do Acesso". (Foto: Julio Caesar / O Povo)

Entre os trunfos que o Ceará traz para a disputa da Série B do Campeonato Brasileiro em 2017, nenhum carrega maior esperança da torcida que o treinador Givanildo Oliveira. Conhecido como "Rei do Acesso", o pernambucano de 68 anos será o responsável por comandar o clube na tentativa de retornar à Primeira Divisão do Campeonato Brasileiro após cinco anos de tentativas frustradas.

Givanildo sabe bem o caminho para se ter sucesso na Segundona. Ao todo, são seis subidas de divisão - recorde entre todos os técnicos do Brasil. Cinco foram classificações da Segunda Divisão à elite do futebol brasileiro, com América-MG (1997 e 2015), Paysandu (2001), Santa Cruz (2005) e Sport (2006). A experiência na competição nacional - principal objetivo do time na temporada - foi fator determinante para que a diretoria alvinegra efetivasse sua contratação, em fevereiro.

Mas a esperança no "treinador raiz" não está somente no seu histórico vencedor. O técnico foi um dos principais responsáveis pela conquista do 44º título estadual do Alvinegro, que foi o 25º de sua carreira (11 como jogador e 14 como técnico), transformando o ambiente conturbado que o clube vivia em tranquilidade.

Dentre os méritos de Givanildo está a formação de um time coeso e pragmático. Se não jogou um futebol vistoso até aqui, que enchesse os olhos do seu torcedor, o Vovô chega à Segundona como um time eficiente e invicto sob o comando do experiente técnico - foram dez jogos, com seis vitórias e quatro empates. E é exatamente isso que o time precisa manter.

Giva montou um sistema sólido e seguro defensivamente. Essa é uma das características das suas equipes, e vinha sendo justamente um ponto falho do Ceará nas últimas disputas da Série B.

O técnico tem o elenco do Ceará nas mãos. Os atletas assimilaram bem sua filosofia de trabalho e o respeitam. Se ele conseguirá devolver o Ceará à Primeira Divisão, só se saberá ao fim desta edição da Série B. Entre as incertezas, no entanto, a única coisa que parece certa é o que o treinador se coloca para brigar pelo acesso mais uma vez.

Palpites dos repórteres O Povo

André Almeida

André Almeida

Campeão: Internacional Quem sobe: Internacional, América-MG, Santa Cruz e Ceará Quem cai: Boa Esporte, Oeste, Vila Nova e Paraná Artilheiro: William Pottker, Internacional Time surpresa: Paysandu

Buno Balacó

Buno Balacó

Campeão: Internacional Quem sobe: Internacional, Goiás, América-MG e Ceará Quem cai: Oeste, Londrina, Luverdense e Brasil de Pelotas-RS Artilheiro: Bill (América-MG) Time surpresa: América-MG

 Erick Bruno

Erick Bruno

Campeão: Internacional Quem sobe: Internacional, América-MG, Goiás e Ceará Quem cai: Oeste, Paraná, Brasil de Pelotas e Boa Esporte Artilheiro: Brenner (Internacional) Time surpresa: Guarani

Brenno Rebouças

Brenno Rebouças

Campeão: Internacional Quem sobe: Internacional, Goiás, América-MG, Ceará (ou Paysandu) Quem cai: Boa Esporte, Oeste, Vila Nova, Náutico Artilheiro: Bill Time surpresa: Paysandu

Acesse o site Adoro Futebol

Acompanhe a tabela de classificação e lista de jogos do Campeonato Brasileiro Série B